TORMENTA

Na Floresta do Troll

ATO 1 – Na casa de Hert Berth

Ao fim da última aventura o grupo se junta ao mago elfo Talan Thuman para seguirem a sua jornada que agora atravessa a perigosa Floresta do Troll, para isso necessitaram da ajuda do rabugento anão Hert Berth.

Aramil – está na busca de aprender mais e terminar logo em missão para ganhar a sua recompensa.
Koragar – mesmo contragosto está no grupo em busca dos indícios de seus sonhos.
Ryouma – segue sem questionar as ordens que lhe passam.

O grupo, agora acrescido da figura de Talan Thuman, rumam para as proximidades da floresta lá procuram encontrar Hert Berth, um anão que devota sua vida a exploração da floresta.

Num pequeno casebre a beira do rio que cruza a floresta eles encontram o anão as negociações pela ajuda são rápidas, com cada parte apresentando seus interesses pela ajuda.

O grupo informa, sem revelar sua verdadeira missão, que procura atravessar a floresta como forma de atalhar caminho a cidade de Villent. Talan Thuman expõe mais uma vez a respeito de sua missão para a Academia Arcana (que consiste em resgatar um ser planar que se encontra perdido na floresta). E por fim, o anão lhes diz que encontrou uma mina de ouro com a qual ele pretendo juntar dinheiro para invadir a floresta e matar o Rei Troll (sua obsessão).

Uma vez todos terem entrado em acordo começam os preparativos para a incursão na floresta.

Comentários:

- Um dos nossos jogadores que estava sem personagem assumiu o Hert Berth e fez uma interpretação de anão rabugento sensacional.
- Hert Berth também é um personagem que eu puxei de uma campanha antiga, por sinal a mesma que o Talan Thuman fazia parte por isso deles serem amigos.
- O obsessão pelo Rei Troll surgiu desta antiga campanha.
- Os jogadores estão um pouco contrariados pelo Luigi ter sumido e pela ideia que deixou pro grupo, mas eles gostaram de interagir com o anão.
- Um dos preparativos foi fazer um fervido de babosa para passar nas lâminas das armas que impedia a regeneração dos troll’s (Hert Berth aprendeu esse preparo com outro anão chamado Small Cave nessa antiga campanha).

ATO 2 – A incursão na floresta

Com a ajuda de Hert Berth o grupo não teve maiores dificuldades em transitar pela floresta, a travessia ocorria sem problemas até eles encontrarem o tal planar perdido.

Se tratava de um githzerai (um planar monge com poderes mentais) e estava contra um troll aquático, eles logo intervem e mais troll’s aquáticos aparecem. A luta está foi boa, mas no final os troll’s foram derrotados e o último acabou fugindo.

Passada a luta Talan Thuman conversa com a githzerai que espõe a sua situação. Ele havia sido invocado por uma bruxa, por meses foi torturado por ela com a finalidade de extrair diversas essências diferentes dele para os encantamentos da bruxa até ele conseguiu entrar em contato telepático com um mago. Confiando nas orientações do mago ele fugiu da bruxa e procurou o local indicado para que pudesse voltar ao seu plano de origem, porém o extraplanar acabou se perdendo na floresta antes de chegar no destino desejado.

Agora acrescidos de um novo componente o grupo seguiu viajem até a mina de ouro onde passaram três dias coletando ouro. Depois desses dias de trabalho eles se dirigiram para sair da floresta quando estavam quase saindo encontraram alguns orc’s, nada de muito desafiante para o grupo. Todavia o encontro serviu para perceber que os poderes clericais de Koragar estavam com “defeito”.

Confuso com o último acontecimento cabe ao githzerai explicar o que havia acontecido com o clérigo. Pelo que o planar podia ver, a linhas planares que ligavam o clérigo a sua divindade estavam enosadas (nesse momento percebesse qual era a maldição que ele receberá no templo de Khalmyr) o planar propõe que o grupo o ajude para retornar ao seu plano de origem em troca da remoção da maldição do clérigo e assim o grupo desvia de seu caminho e parte para esta nova jornada.

Comentários:

- A luta contra os troll’s foi facilitada pelos pequenos preparativos que o grupo fez antes de adentrar a floresta (o fervido de babosa fez efeito), além da adaga +2d6 contra troll’s que o anão tinha da outra campanha ainda.
- Foi engraçado perceber que o clérigo só se deu conta de qual era a maldição no final do outro capítulo (duas sessões depois) e levando o tempo que a gente demora pra jogar isso levou um tempão, mas ele só foi usar magia clerical naquele momento! O jogador não curtiu muito, mas eu achei legal a surpresa dele, foi um efeito legal.
- O Aramil e Koragar trabalharam um monte na mina pra tentar juntar uma grana, enquanto que o Ryouma só escavou uma pepita pra ele e não trabalhou mais, ele achava desonroso esse trabalho.
- Jogador que interpretou o anão teve que abraçar o githzerai também, foi difícil pro cara, mas ele encarou na boa e distribuiu um monte de voadeiras nas lutas.
- Foi legal ver a tensão do grupo na saída da floresta. Depois da mina eles por várias vezes ficaram próximos de encontrar mais troll’s, mas com testes de sobrevivência e percepção conseguiram evitar os encontros.
- Eu pensei nos orc’s como um grupo de assaltantes que ataca grupos de tentam sair da floresta, como é ela dominada por monstros coloquei orc’s ao invés de bandidos humanos na saída.

EPÍLOGO

Mesmo a contragosto o grupo, convencidos pela condição do clérigo. Partem em uma nova jornada, na direção da torre abandonada do antigo mago Tolian onde o githzerai diz haver um portal de voltar para seu lar.

Comentários:

- Para mim, o objetivo destas sidequests e fazer com que os personagens ganhem alguns níveis para quando a trama principal engrenar eles puderem enfrentar os desafios de verdade e com recursos também.
- Estou com dificuldades de colocar inimigos pro grupo, eles são muito fortes e os monstros com ND adequado pra eles estão sendo fáceis de matar.

View

I'm sorry, but we no longer support this web browser. Please upgrade your browser or install Chrome or Firefox to enjoy the full functionality of this site.